sábado, 11 de julho de 2009

A felicidade, a dor, o amor, de ter um cachorro.

Sábado (04/07/09) á noite viajei para a casa do Vinicius, no interior de Sampa.
Nesses ótimos dias que ficamos juntos, nós pudemos fazer várias coisas que há tempos não fazíamos. Uma delas foi assistir a um filme, nada melhor do que isso.O filme que escolhemos pra assistir foi “Marley e Eu”, e nos emocionou muito, por isso decidi postar não sobre o filme exatamente, mas sim pela história dele.


O filme mostra a história de um cachorrinho arteiro que entrou até em 'liquidação' por isso, após ser vendido para um casal de recém casados, ele faz da casa uma verdadeira bagunça.
Após o casal terem filhos, aumenta ainda mais a dificuldade de cuidar do cachorro, em crises de nervosismo até pensam em doá-lo. Porém, o amor que o animalzinho traz para vida do casal, faz eles superarem os obstáculos.
Bom, definitivamente esse filme mostra a realidade de ter um animal em casa, as dificuldades são constantes como se fosse uma criança de verdade. Mas nada que o verdadeiro amor não resolva.

O cachorrinho pode te irritar às vezes, fazer xixi onde não deve, rasgar suas meias novinhas arrancando a roupa do varal, entre 'N' coisas que ele pode aprontar, mas depois de fazer 'aquela' carinha de dó, ninguém resiste.Quem nunca acordou com lambidas de cachorro no rosto, com cachorro pulando na cama, é uma coisa tão linda, de extrema inocência.

É um animal perfeito, nas horas de felicidade ele brinca com você, nas horas que você ta triste ele coloca a cabecinha sobre você, ou seja, esta com você em TODOS os momentos.

É uma felicidade imensa ter um cachorro em casa, mas infelizmente um dia isso acaba e vem a dor da perda.


Perder alguém que você ama não é fácil, depois de anos de convivência, é como perder um bebê ainda novinho, pois seu cachorrinho pode crescer, ficar mais velho, o quanto for que ele vai ser uma eterna criança, ou se preferirem, um eterno filhotinho.

E isso, eu e o Vinicius podemos afirmar com toda certeza do mundo!


Há um ano e pouco mais de um mês, perdi meu cachorro 'Muskito' (imagem ao lado) que convivi desde pequena, pois ele estava com nove anos, ele fugiu de casa e nunca mais apareceu, a dor de não saber se ele ainda está vivo, se estão cuidando bem dele, se não está passando frio ou fome, aumenta dia após dia, eu paro pra pensar como ele está sem nós, ele só comia um tipo de ração, só bebia água de um único potinho, sei que em situações assim, um animal se vira, mas sempre vem isso na cabeça.
Até hoje pessoas ligam aqui perguntando se achou, ou falando que viu algum parecido com ele, por isso a esperança não acaba. Hoje minha família se arrepende de não passear tanto com ele, com medo de ele escapar, a curiosidade dele pela rua aumentava, mas ele não sabia andar, talvez isso tenha agravado mais ainda a situação dele fora de casa. Como toda perda, são tantos arrependimentos e tantas lembranças que emocionam qualquer um.


Mas, assistir o filme “Marley e Eu” pra mim, apesar de triste foi mais aceitável, já pra o Vinicius foi mais difícil.

No fim do ano passado, eu fui viajar e o Vinicius ficou na casa dele, justamente quando eu não estava para dar apoio, o cachorrinho dele 'Toth' (imagem ao lado)que já estava com 11 aninhos, começava a apresentar sintomas de não estar bem, se isolava, não brincava mais, ficava apenas deitado em sua casinha, sem se mexer, sem fazer nada...
Foram alguns dias de desespero com o Toth mal, toda vez que eu ligava pro Vinicius, ele me contava tudo o que acontecia, ele não conseguindo dormir nenhum desses dias, e nisso eu me sentindo impotente de no mínimo não estar por perto, pois eu sabia como era perder um animalzinho, e sabia mais ou menos como ele estava se sentindo...

No dia anterior da minha volta da viajem, o Toth ficou muito mal, só respirava! Então o Vinicius o levou pro veterinário, onde o Toth iria ficar a noite toda...

Cheguei de viagem desesperada pra ligar pro Vinicius, quando ligo, ele me atende, chorando desesperadamente, dizendo que o Toth tinha acabado de morrer, cinco minutos antes de ligar pra ele, o veterinário ligou dizendo que o Toth havia morrido, chorei junto com ele, foi horrível. Olha como é a vida, não pude estar ao lado dele nos dias de sofrimento dele, e quando eu chego da viajem, podendo estar com ele, o Toth morre.
O Toth morreu igualzinho o Marley morre, ficando mal, de canto, se isolando. Então já da pra perceber como o Vinicius chorou no filme, né? rs


É triste lembrar como aconteceram nossas perdas, mas as lembranças são lindas.
O que pra nós dois marcou neste filme, foi o ponto de vista que eles deram sobre quando um cachorro está perto de morrer.

O filme mostra que o cachorro sente que está mal por isso foge de casa se puder, ou se isola completamente, que foi o que aconteceu com o Toth, e após assistir o filme fico pensando se ele não foi assim com o Muskito também.

Quero deixar aqui minha recomendação, o filme já esta meio “velho”, mas é um filme lindo, e podem preparar o coração, pois a emoção é imensa.
E cuide bem do seu cachorro, sempre brinque com ele, NUNCA o maltrate, pois ele é tudo de mais belo, mais inocente, mais TUDO, que uma pessoa pode ter!

Caroline de Oliveira e Vinicius Gabriel.
____________________________________________________________________________________

Estamos participando do prêmio TOP BLOG, quem puder dar aquela forcinha, ficaremos muito agradecidos! É simples, basta clicar na imagem (abaixo), clicar em VOTAR, preencher os campos necessários, e depois confirmar voto pelo seu e-mail. Agradecemos desde já. Obrigado!



89 comentários:

Larissa 11 de julho de 2009 01:21  

ahh eu tbm ja vi o filme e li o livro chorei nos dois, mais gostei mais pelo livro acho q passo mais emoção *-*
eu nem imagino perde meus filhotes tenho dois poodles, um preto e outro branco, são como filhos pra mim :(
ah e obrigada pelo selo :D

bjoos

mateusbonez 11 de julho de 2009 01:22  

Tb me emocionei mto, choreii horrores lendo e vendo. Bom blog ;D

http://tiomah.blogspot.com/

Antonoly 11 de julho de 2009 01:25  

Sei bem o que é isso, pois tenho trê s cachorros e não quero nem imaginar o dia em que eles se forem.
Um abraço e ótimo e tocante post!

Rodrigo Selback 11 de julho de 2009 01:27  

Muito Obrigado por ter comentado em meu blog no post sobre a série The4400 apreciei muito o comentário.
No meu post dessa semana escrevi sobre o Livro do Bernardinho se quiser passar lá e comentar fique a vontade.
Parabéns pelo blog excelente conteúdo infelizmente nunca pude ter cachorro em casa sempre morei em Ap e nunca tive espaço
Atenciosamente
Rodrigo
www.blogdoselback.blogspot.com

Spertnez 11 de julho de 2009 01:44  

Ja ouvi falar muito desse filme, mas não assisti ainda!
Não curto muito o genero, mas as vezes é bom ver um estilo mais tranquilo.

Valeu pela indicação!

Ben Oliveira 11 de julho de 2009 01:48  

Pow muito legal!
Ainda não assisti ao filme, mas pretendo ver :P
Ai cachorros são realmente os melhores amigos do homem :P
Muito bonito seu post!

turmadoloid 11 de julho de 2009 02:01  

ótimo post,mas eu acho q não só cachorro,mas gato ou coelho é tao bunito de si vive. eu tenho uma gata, ela fugiu aconteceu mesma coisa com o Muskito, ela só comia de uma ração, em um potinho, enfim ja faz uns 8 dias e até agora ela naum apareceu , mais é a vida cheia de altos e barrancos :)
Continue assim.

Everaldo Ygor 11 de julho de 2009 02:06  

Olá...
Um belo post...
E o filme, lindo...
Meu cão, o Jack, faleceu atropelado ja tem algum tempo, a historia do filme, é a mesma da vida real de quem tem amigos animais...
Abraços
Everaldo Ygor

sacipirata.com 11 de julho de 2009 02:33  

Pra falar bem a verdade eu não gosto de cachorro, mas o filme realmente é bonito, me fez ter "simpatia" mas não o suficiente pra ter um, hehe
Abração do Saci!

Débora 11 de julho de 2009 02:45  

Também conheço essa dor. Minha cadelinha de 17 anos teve de ser sacrificada, pois o cancêr já estava totalmente espalhado, e não teria como operar. Acredito que isso ocorreu a uns 4 anos atrás. Sinto saudades dela, das carinhas que fazia, do jeitinho... Era uma basset, e seu nome era MIla.
Assisti ao filme e também li o livro ( que por sinal, é muito melhor). Chorei bastante no livro. Impossível não se emocionar.
Companheiros fiéis. Com certeza.

Débora
http://osenhorpresenteesta.blogspot.com/

Tudo Direto 11 de julho de 2009 03:30  

Bem interessante, ter cão é ter um amigo fiel. ^^...

Parabéns.

Se der da uma passadinha no meu blog ^^...

http://tudodireto.blogspot.com

Email: tddireto@gmail.com

Leo Pinheiro 11 de julho de 2009 06:15  

Bem, não quero entrar em detalhes, mas... Existe dor maior do que não saber se o seu bichinho está vivo ou morto.

Queria eu que o meu tivesse fujido...

Aliás, seria bom pra todos que têm cães velhos que existisse uma fazenda dos cãezinhos, uma espécie de paraíso dos melhores amigos...

Gabriela Moura 11 de julho de 2009 09:17  

ah meu, cachorro é tudo de bom mesmo, viu, o meu é um basset preto, o nome dele é Morgan, qualquer dia faço um post sobre isso...
mas a questao é que ele é tudo pra mim, ele apareceu na minha vida numa hora que eu precisava mt, eu peguei ele pra cuidar pq foi abandonado pela familia que o criava, eu nao me imagino mais sem ele.
recomendo a cachorroteparia pra todos, pq traz muita alegria! amo demais!

C. 11 de julho de 2009 10:27  

Cara, acho que fui a unica pessoa do mundo que não viu Marley & Eu O.O

www.teoria-do-playmobil.blogspot.com

Guttwein 11 de julho de 2009 11:21  

Sr. e Srta! Excelente postagem! Esse lance de mesclar fotos entre os textos acaba dando uma quebrada na leitura, à torna mais gostosa...bela sacada! ; )

Então, eu e minha mulher temos o hábito de adotar cachorros de rua e arrumar um lar definitivo pra eles...portanto, inúmeros "Marleys" já passaram por nossas vidas! rsrs... recentemente adotei para mim uma Huskey amarela, liiiinda, mas que me da uma doooor de cabeça que...rsrsrs!

Em suma, é um filmão!... engraçado, mas que tbm passa uma reflexão e tanto sobre companheirismo, envelhecimento e um monte de outras coisas...

Andrei Vinicius 11 de julho de 2009 14:34  

AHHHHHH eu Me apaixone por Marley e eu tbm *_____*

Esse filme é totalmente de auto-ajuda...adoro!

LADY DARK ANGEL 11 de julho de 2009 14:36  

MUITO FOFO VC E SUA NAMORADA POSTAREM NUM BLOG JUNTOS
EU TO LOCA QRENDO VER ESSE FILME MAS AINDA NAO TIVE OPORTUNIDADE

Lúcia 11 de julho de 2009 14:39  

Ai me deu uma vontade de chorar com tudo isso. Me lembra de um acidente que aconteceu com o meu Floquinho. Quando eue stava em Itu e o floquinho dormia no lado de fora, ouvi ele brigando com algum animal, ouvi meu cachorro dando aqueles gritinho de dor e levntei da cama no meio da madrugada para socorrê-lo. Quando cheguei ele parecia estar perfeito, começou a pular em cima de mim querendo colo. E quando eu o peguei, o sangue dele começou a escorrer nas minhas mãos. Eu chorei muito aquele dia, ele precisou de cirurgia, por quebrou costela, perfurou o pulmão entre outras coisas. Mas graças a Deus ele está bem, e hoje aproveito cada momento que tenho com o meu bichinho, porque pode ser o último!

Amo meu Floquinho mais que tudo nessa vida.

MioneNunes 11 de julho de 2009 14:47  

Esse livro eh lindo. Eu choreei no final...o filme eh bom, mas faltaram coisas do livro *-*

LETÍCIA CASTRO 11 de julho de 2009 14:51  

Eu tinha cinco cockers, pai, mãe e três filhotes. Para me mudar de volta pra SP, tive que doar todos, pois ia morar em um apê. De todos, só tenho notícias da Maggie e fica sempre a dúvida se estao sendo bem tratados também. É uma dor que nao passa nunca e entendo bem como vcs se sentem.
De qualquer forma, fica o amor e a lembrança de todos os momentos maravilhosos que passamos juntos, nao é?

Beijos para os dois!

Lucas Alsil 11 de julho de 2009 16:45  

eu já passei pelos dois tipos de dor e sei o quanto é dificil. sem contar os peixes que morreram também (ai sim foi %#$@ ! ) mas nada que se supere, pois bem, quando o meu cachorro fugiu, arrnajei outro. quando o outro morreu, ai foi embassaçado. comeu veneno que eu guardava no meu quarto. pois bem, depois foram os peixes. mas isso supera, pelo menos eu aprendi. cachorros e peixes sim, são grandes amigos, e fazem sim uma imensa falta.

Ps: não sabia que vc tbm escrevia no blog :~ vc escreve bem.

beijos,
Lucas Alsil !

Lucas Alsil 11 de julho de 2009 16:45  
Este comentário foi removido pelo autor.
Lucas Alsil 11 de julho de 2009 16:45  
Este comentário foi removido pelo autor.
Dona do Planeta 11 de julho de 2009 18:04  

AAAA, adorei principalmente as fotos, adoro os cachorrinhos!!!

Mariana 11 de julho de 2009 18:18  

Aiin, amo cachorro e todos os bichinhos, mas na minha casa não da muito certo, infelizmente, assim que morar sozinha, compro um

Marcelo Malta 11 de julho de 2009 19:00  

Já ouvi várias histórias de paixão entre um homem e seu animal, mas eu não gosto muito de cachorros, mas respeito a opinião dos outros.

A RADHA que dice (eu mesmo) e daí? 11 de julho de 2009 19:08  

Os cachorrinhos são bonitinhos!
mas infelizmente em casa nunca me deixarão ter um, incontáveis vezes me encontrei com cachorrinhos na rua, levei a casa (escondido claro), dei leite, parte da minha comida, enrolei com uma cobertor etc ... mais maldição!! sempre me descobriam, e meu cachorrinho era expulso ou levado a carrocinha ...snif :( enfim, nunca entendi por que meus pais não me deixavam ter um inocente cachorro! bom, os filmes de cachorro, gato, e animaizinhos em geral ajudou bastante, mas este vazio esta carência continua em mim ...
quero meu cachorrinhooo!!

enfim, gostei do seu blog ;)

A RADHA que dice (eu mesmo) e daí? 11 de julho de 2009 19:10  

Os cachorrinhos são bonitinhos!
mas infelizmente em casa nunca me deixarão ter um, incontáveis vezes me encontrei com cachorrinhos na rua, levei a casa (escondido claro), dei leite, parte da minha comida, enrolei com uma cobertor etc ... mais maldição!! sempre me descobriam, e meu cachorrinho era expulso ou levado a carrocinha ...snif :( enfim, nunca entendi por que meus pais não me deixavam ter um inocente cachorro! bom, os filmes de cachorro, gato, e animaizinhos em geral ajudou bastante, mas este vazio esta carência continua em mim ...
quero meu cachorrinhooo!!

Plaidy 11 de julho de 2009 19:30  

Eu acabei de ver o filme esses dias, chorei tanto!

Tem grandes ensinamentos.

É ótimo encontrar pessoas que gostam de animais, eu amo eles.

Naay 11 de julho de 2009 19:35  

Confesso que eu pulei a parte q vc falou sobre o filme, pois eu ainda nao o assisti. Estou com o livro aqui em casa mas estou lendo um otro e tneho mais uns 5 na fila. E quero guardar a surpresa da história para quando eu estiver lendo. Mas ja deu pra sacar oq acontece no filme. HAHA PESSIMO . Meu cachorrinho ta estranho. Ele é maior do que eu mas é um bebezao gigante. Axo que nao ha nenhum mau com ele. Assim espero. E alem de tudo adorei o conteudo do blog. Parabens PAra os dois!

By:Nay

BRUNO 11 de julho de 2009 20:35  

Confesso que não sou muito fã do filme nem do livro, e nem posso falar pois não os li e nem os vi. Mas tenho um xasal de cachorros que são tudo pramim... Eles deixam a vida mais leve... Obrigado pela visita em meu blog

Abraços!

Dona do Planeta 11 de julho de 2009 22:43  

Os melhores amigos em nossas vidas são nossos bichinhos de estimação!!!

Allan 11 de julho de 2009 22:45  

muito bom esse filme
!

Arthur Melo 11 de julho de 2009 22:50  

nem li o livro nem vi o filme,
mas falam muito bem deles.
hje mesmo falaram-me isso.

www.arthurmelo92.blogspot.com

««§|$üPë® Xökë|§»» 11 de julho de 2009 22:54  

iii cara, nem tenho o que comentar...

mas comentei neah
xD

FábioE§¢orpïão 11 de julho de 2009 23:11  

Conviver com animais pode tornar-se uma lição de amor, para quem assim souber captar.

Por coincidência, também escrevi sobre o Marley, gostaria que vc lesse - tirei do filme algumas interpretações bem pessoais.

Torço pelo seu Muskito, esteja ele onde estiver. ;-)

Rogerio 11 de julho de 2009 23:11  

ja ouvi falar muito a respeito desse filme...preciso assitir...mas como todos dizem o cão e o melhor amigo do homem...

- aari 11 de julho de 2009 23:38  

ja ouvii fala, e tenho vontade de lerr

Mas oBG pelo comentarioo ^^'[/ incentiivo!


:)

Itamar (japa) 11 de julho de 2009 23:43  

é um filme muito emocionante...

até eu chorei!

Aquela garota dos piercings e tatuagens.. 12 de julho de 2009 00:42  

Tenho dois cachorros, nem quero imaginar quando a hora deles chegar. São dois filhos meus, cuido e os amo demais!
Crueldade do destino mesmo é quem tem e maltrata os animais (sem culpa).

Newton Flamarion 12 de julho de 2009 01:44  

pow esse filme é bem bqacana

Newton Flamarion 12 de julho de 2009 01:44  

pow esse filme é bem bqacana

Adriano Viana 12 de julho de 2009 02:04  

Não vi o filme e nem li o livro, mais vcs me deixaram na vontade de ver, deve ser uma historia muito boa!! Abraço t++

Marcelle 12 de julho de 2009 03:27  

chorei liiiiitros vendo esse filme :~~
muito lindo MESMO :)

adenilson 12 de julho de 2009 05:13  

aah hoje passei só pra dar um avisozinho rapido mas juro q comento em breve....é q é postagem urgente sabe
kkkkkkkkkk
então eu e minha mente estupida resolveram fazer uma homenagem ao bom e velho rock n roll...


www.bocadekabide.blogspot.com


abraço
ótimo domingo e voltarei em breve pra encher seu saco xD~
paciencia melhor!.comentar enfim....

long live to rock and roll


ps: amo caxorros e nun vi nem kero ver esse filme
kkkkkkkkk
o cao morre =[

Newton Flamarion 12 de julho de 2009 05:23  

nada como um bom choro rss, olha eu gosto desse filme, pois já li o livro antes, minha namorada havia me dado anos antes de lanár o livro, achei bem bacana, pois o filme mostra esse caozinho desastrado fez grande mudaná na vida dese casal foi legal ler e ve-lo posteriormente ok um abraço e me faça um bom comentário la hein, rss abraço

Hudson B. Rodrigues 12 de julho de 2009 13:42  

Ótimo post.. até mais, abraço

Wanessa Lins 12 de julho de 2009 15:04  

Ow sou louca pra assistir esse filme, muita gente me recomendou já!
As imagens são ótimas...

Sinto saudades do meu toto! =/

;**
Beijooos


http://wanessalins.blogspot.com

Bruna 12 de julho de 2009 15:07  

Eu também assisti o filme. Antes não conseguia entender porque meu irmão era tão ligado ao cachorro dele.
Engraçado como os cães conseguem captar situações de perigo, entendem quando alguma coisa está errada e fazem uma falta danada quando não estamos mais com eles.

Sistema Zombie\ Nildo Junior 12 de julho de 2009 15:23  

Blog bom como sempre.
te juro que eu chorei quando assisti marley e eu, chorei muito! ahuahauha

Juliana 12 de julho de 2009 15:28  

O filme é incrivel mesmo, mas ainda mais maravilhoso é o livro! As cenas mais emocionantes e tbm as mais engraçadas descritas no livro ficaram de fora do filme, o que achei uma grande pena! Andei lendo seus outros posts e nossa! Incriveis!!! Teu blog tá perfeito, layout bacana, textos super envolventes e bem escritos, e fotos e imagens incriveis..virei fã! rsrs....Um grande beijo e uma ótima semana!!!!

Marcus 12 de julho de 2009 15:29  

tenho um cachorro viralata que tem 14 anos, não faz mais nada alem de comer e durmir, dai resolvemos pegar um outro, e pegamos um boxer, nossa o cachorro num para 1 min. enche muito o saco, tem hrs que da vontade de dar embora, mas não conseguimos mais. =]

Thiago - No Mundo Agora 12 de julho de 2009 15:39  

Marley e eu é um filme excelente, lindo, emocionante. Não gosto nem de pensar se um dia minha cadela morrer :/ vai ser dificil viu! gostei do post, parabens

Raphael Campos Máximo 12 de julho de 2009 20:58  

Poxa a história do Toth lembra um pouco a do Marley. O filme é muito legal mesmo, eu geralmente não gosto desse tipo de filme com cachorros porque começou a ficar meio repetitivo, mas esse tem algumas inovações. Adorei o filme, precisei até fazer um relatório para aula de inglês, rsss... Acho que o que é mais legal no filme é que o cachorrinho está presente em toda a vida do casal. Está com eles antes do casamento, quando se casam, quando vêm os filhos e no sucesso do cara, sucesso que afinal foi proporcionado pelo Marley, hehehehehe... Bem legal a história do cachorrinho de liquidação, hehehehe...
Abração!

Megumi ~ 13 de julho de 2009 00:47  

Me emocionei lendo esse post. Não gosto muito de cães, prefiro gatos. Temos vários gatos aqui em casa, tenho gatos desde que era criança. E já perdi dois deles, uma fugiu assustada quando mudamos de casa e outra foi roubada. Realmente dói MUITO! Não quero nem imaginar como vai ser quando eu perder o gato que eu crio agora, sou muito apegada nele! Ele ainda é novo, e tem muitos anos de vida pela frente, pelo menos assim espero! Beijo para vocês!

eduarda 13 de julho de 2009 13:47  

Ah ja assisti marley e eu e chorei
é mtu lindo e ainda pq eu li o livro tbm
:D bjo

Smash 13 de julho de 2009 13:47  

Eu tenho esse filme, é mto engraçado!

Camis 13 de julho de 2009 13:50  

Sinto-me como a unica pessoa no mundo a NÃO ver Marley & Eu.

www.teoria-do-playmobil.blogspot.com

Bárbara Moreira 13 de julho de 2009 14:06  

o filme é muito bom, chorei bastante, principalmente quando lembrei do meu cachorro que morreu. ter um animal é muito bom, apesar do trabalho que dá, e quando morre é a mesma coisa que perder um parente, muito difícil. ;/

mediskina 13 de julho de 2009 14:15  

A história do livro é muito emocionante!!!



http://mediskina.blogspot.com
Aqui a gente brinca mas ensina Medicina.

Flávia 13 de julho de 2009 14:22  

Ah, tanto o filme quanto o livro são ótimos, é uma reflexão e tanto, prova o quanto é possível aprendermos com um cachorro.
Quanto ao cachorrinho do Vinícius... é triste, mas essas coisas acontecem, é bom guardar as coisas que aprenderam com ele.
Meu amigo tem uma gata, a Polominha, tá com 11 aninhos também, tadinha! Ontem estávamos na casa dele e conversando sobre o quanto ela está ruim =/


Acho muito lindo o sentimento que conseguimos ter por um pequeno animalzinho, e mais lindo ainda o sentimento que eles teem por nós, por mais que a gente brigue com eles... els veem abanando o rabinho, de orelha baixa, olhinhos brilhantes e nos pedindo um carinho!

http://verdesconfissoes.blogspot.com

Sequelanet 13 de julho de 2009 14:45  

O filme foi fiel ao livro. Mas claro, o livro é muito melhor e tem passagens que não estão no filme. É muito divertido e triste...
Recomendo

Glayce Santos 13 de julho de 2009 15:54  

OLÁ! Este filme é lindo mesmo. Seu título disse tudo... a dor e amor de ter um cão! Amo cachorro e sinto muita falta de um! =( Dor doída mesmo. Tive três! O Muskito é uma graça! Linda historia, pena... enfim; mas ficam as boas lembranças, né?

Beijos

juh s.e.p ϟ 13 de julho de 2009 17:08  

parabéns ne? suahsa'
nossa cachorro é sempre boom, não estão errados ao dizer que o cão é o melhor amigo do homem.
eu já tive três cachorros quando tava morando na minha outra cidade, mas agora eu só vejo um, e é só nos fins d semana. =/ sinto muiita falta de um cão amigo, porque mesmo sendo um animal, transmite um amor unico. e que mostra coisas que nem o ser humano transmite hoje em dia. cachorro é um ser unico que muiitas vezes traz aquela tranquilidade que você tanto busca no seu dia-a-dia.
:D lindoo texto.

Marcus Duarte 13 de julho de 2009 17:44  

Muito bom ter cachorros..
Cara, este é um problema de ter apartamento, fica dificil ter um cão..

Coincidentemente faleisobre o cão que foi assassinado, em meu blog!

Uma vergonha fazerem isso.

Marley e eu, sempre tive vontade de ver este filme, e ler o livro de mesmo nome.

Abraço!

vitor Marques 13 de julho de 2009 17:49  

hehe
ja vi o filme já e muito massa
só nao concegui ler o livro pq nao gosto de ler
shuahsuauhsua

mais ta maneiro
fuix

passa la
http://paginabrasil.blogspot.com/

Daphne 13 de julho de 2009 17:58  

Adoro esse filme, assim como adoro cachorros, ao ponto de ter seis e trabalhar em um pet shop...que pertence ao meu pai....O cachorro é mtas vezes melhor que os humanos, eles sentem qnd estamos tristes e ficam ao nosso lado, ja vi cachorros cujos donos morreram só ficarem calmos qnd perto do tumulo dos mesmos... cachorros são sem duvidas os melhores amigos incondicionais dos homesn...

bjos

Igor Amorim. 13 de julho de 2009 18:06  

O filme e o livro são muito lindos, chorei cachoeiras. hsuaish'
Toda forma de amar é linda e tem suas dores, com os cachorros não seria diferente. é a "Felicidade, a dor, o amor" ter um cachorro.
Parabéns pelo blog, vc escreve bem.
quando puder. passa no meu blog (:

http://semfronteiraas.blogspot.com/

abraços.

Wanessa Lins 13 de julho de 2009 18:14  

Vou seguir com a fotografia, meu curso de Relações Públicas começa em Setembro e nele irei pagar uma cadeira de fotografia!
Quero ser uma profissional: Relações Públicas e Fotografa :)

:***

Beijooos

Daniel'F 13 de julho de 2009 18:38  

Fala cara.
Pronto, ja add seu banenr ok.
Abraço; sorte !

Jéssica Gottlieb 13 de julho de 2009 19:24  

Que lindo! Não vi o filme, mas já li o livro, é muito lindo mesmo...
Também amo cachorro!
Parabéns pelo blog, gostei muito mesmo.

Rubra 13 de julho de 2009 21:37  

Caramba... A história é muito linda, só fui ver o filme esse final de semana, quando acabei o livro. Meu, é triste apesar de tão divertido...
Também já perdi um cão, e bom, animais tem um valor bem maior do que os humanos normais costumam dar. Infelizmente!

Kensie 13 de julho de 2009 21:38  

Muiito interessante *-* , ameii

Marcelo A. 13 de julho de 2009 21:49  

Cara, já li o livro e vi o filme. Quando fui assistir no cinema, pensei que não fosse me emocionar. Bobagem! Passei a maior vergonha! É o tipo de história que não tem como mexer com a gente, né?

Desculpa mesmo a demora, é que a net aqui tá péssima. Já eu, tô esperando um comentário seu há um tempão, de uma brincadeira daquela comu lá no Orkut... Rsrsrsrs!

Seu blog é muito bom!

Abração! E se quiser:

www.marcelo-antunes.blogspot.com

Itamar (japa) 13 de julho de 2009 22:55  

de novo poraqui, vou votar nesse trequinho ai tbm! abraços!

LReporta 14 de julho de 2009 00:24  

Eu tive um cachorro por 12 anos. Quando ele morreu, desejei com muita força que ele fosse um papagaio ou uma tartaruga... É uma pena que cachorros vivam tão pouco. Eles são ótimos companheiros.

Keisy 15 de julho de 2009 00:48  

OWNNNN! AMEI ESTE POST! *___* AMO ANIMAIS! Cachorro é tudoo de boom! ...Eu tinha um, mais ele fugiuuu' :/ ...no dia do meu niver de 8 anos' :( ...BIG saudades dele... Marley lembrava o meu cachorro... Triste... Mas, enfim.. amei o filme e o livro tbm! perfeitooo!

Diego Janjão 15 de julho de 2009 00:49  

Só num tenho um cachorro pq todos q vem pra cá morrem!

tdagora 16 de julho de 2009 15:27  

ai gente, ainda não vi o filme, mas eu tenho meu cachorrinho há 11 anos. Peguei ele com dois meses e sei que ele já tá idoso, mas pra sempre ele vai ser meu bebezinho. Dá um aperto no peito só de pensar na minha vida sem ele. Ele pode ser chato, encher meu saco, fazer besteira... mas quando eu tô triste, doente até, parece que ele sente e fica lá juntinho comigo, dando força.

Acho que meu mundo desaba quando ele não estiver mais aqui.

beijão!

Luciana


http://tdagora.wordpress.com

Mayrla Porfirio,  16 de julho de 2009 21:42  

Owwwwwwwnnnn *___*

chorey vendo o blogg!
ficou muito lindo Cahh e Vinii!

maaaano, que dó do Toth, eu lembro dos nicks do Vini falando q tava mal pq o Toth tava mal =[
e o muskito tbm, eu lembro como a Cah ficou mal quando ele fugiu =/

mas eh muito bom saber que eles tão juntos e se apoiam um no outro e superam juntos os obstáculos da vida, que todos sabemos que não são poucos!

De coração, desejo toda a felicidade pra vcs dois!

E Caroline Teodoro de Oliveira, se vc não me convidar pra ser tua madrinha eu te mato!

Te amo Caah!

Ahh, até gosto de vc vai Vinicius! =D

Bjoooo

meiremohallem 16 de julho de 2009 22:14  

Que maravilhoso, muito lindo este texto!
não tenho cachorros, mas eu sinto que ele é o animal que tem a ligação forte, que demonstra carinho, amor, e que nos faz sentir bem!


parabéns pelo blog!

beijoos!
Meire Mohallem - http://meire-mohallem.blogspot.com/

Fábio Flora 16 de julho de 2009 22:19  

Chorei muito em "Marley & eu". Acho que nunca chorei tanto num filme... Mas tinha um porquê: meu cão, o Oliver, já estava velhinho, com as patinhas traseiras fraquinhas. Faleceu mês passado. Escrevi um texto sobre ele no Ultramuito. Passe lá, se puder. Abraços e sucesso com o blog!

Felipe 17 de julho de 2009 16:18  

Eu já tive tantos cachorros! Eu sempre quis assistir esse filme mas nunca tive oportunidade. Os animais, qualquer um que possa ser domesticado, traz certa alegria para a familia! É muito bom...

http://cerebro-musical.blogspot.com

Roberta,  18 de julho de 2009 19:27  

Muito bom esse filme... e o seu blog, muito bom também! Está de parabéns!
Super interessante!!!


Beijos

Rabay Downloads 29 de julho de 2009 23:14  

Muito irado teu blog,relembrei a minha infancia toda. Show de bola!

mayara 9 de agosto de 2009 21:26  

Nossa adorei esse post.!
amei o filme e chorei feito criança pois lembrei do meu cachorrinho ki morreu com os mesmos sintomas ki o marley, nossa foi horrivel atender o telefone e ouvir ki meu cachorro tinha morrido.! nossa desabei a chorarr
Realmente eles mudam e fazem mta diferença na historia de um familiaa,só de pensar ki posso passar pelo mesmo sofrimento mais 4 vezes ,(tenhu mais 4 cachorros),me da desespero.! Porémm é a vida não tem como impedirr...agora é só aproveitaa mto enqto eles estão akii pq eles fazem meus dias mtoo felizess.!
Adoreii o postt e o blogg.!
Mto bom.! *.*

PARANÓIA 13 de abril de 2010 11:32  

Assistam o flime : HACHI (hashiko) " Sempre ao seu lado"... ai sim vcs vao se emocionar!

  ©Template by Dicas Blogger. - Alterado por Vinicius Gabriel. - S c h r a u b l e s - No ar desde 01/06/2009.

SUBIR